Flores de Melancia

Quando deixei Minas, carreguei fotos dos meus sobrinhos pequenitos para poder olhar e chorar. Estava indo para a cidade desconhecida, de gente desconhecida, com uma mala grande demais de quem não queria um retorno. Deixava o abraço poderoso da serra que mantinha minha cidade fechada sobre si, numa espécie de transe cultural, para me lançar no planalto de outra cidade invadida por todas as culturas do mundo...

Este texto agora pode ser lido na íntegra no novo livro da Senhorita Safo. 
Disponível a partir de 12/03/2016 no site das melhores livrarias.


Comentários

  1. Acho que ainda vai levar um tempo para eu conquistar o meu espaço também e me sentir assim... Em casa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo menos um rechonchudo rosa eu trouxe pra mim. Força que dá.

      Excluir
  2. E assim a gente segue, minha querida, formando uma família, resignificando os cacos e fazendo lindos caleidoscópios ! Sorte a minha por encontros tão cheios de nós.

    ResponderExcluir
  3. No momento exato de minha necessidade de presença de amor, me chega esse poema que me faz parte de algo tão maravilhoso, e então recarrego as forçar para continuar a caminhada. A benção!... Luz-me, lua!!!
    C. Neto

    ResponderExcluir
  4. Você é o pretinho da Dindinha!

    ResponderExcluir
  5. Que linda essa emoção! Me encheu o dia de amor! Bjo
    Lili

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lili, você, Lisa e Raymond são nossos!

      Excluir
  6. Adorei! Vou usar uma palavra que detesto, mas é só ela que cabe aqui: que inveja... (boa). Eu sempre fui "a estranha", agora tenho me encontrado um pouco com os artistas da blogosfera, alguns já conheci pessoalmente.

    Parabéns pelo autoconhecimento, pela coragem, pela força e pelo texto impecável. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você está se integrando à sua turma Adri. Beijooo

      Excluir
  7. Anônimo8/8/13 12:16

    Bom te ter e me ser parte da mesma família!
    Amo você!
    P.Nigro

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não tem conta Google? Assine, clique em ANÔNIMO e em PUBLICAR. É fácil! Bjooo.

Postagens mais visitadas deste blog

Amar não basta

Para o meu fantasma

Estranha Paz