Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2010

Adeus Mãe

E lá se vão elas: minha mãe, sua mãe, cercadas de flores, olhinhos cerrados, para o lado de lá...


Ódio à bondade

Odeio pessoas boazinhas. Gente que se desdobra para além da bondade necessária e se arrasta em mesuras e sacrifícios. Que carrega a sua e a minha mala. Que recusa a carona pra ir a pé. Que faz cara de coitada e diz: não precisa. Aaaaaa! Como eu odeio pessoas boazinhas. Caricaturas de bondade. Mártires de porra nenhuma. Bando de narcisos prepotentes disfarçados de humildes. Sufocando os outros com sua disponibilidade ostensiva, sua habilidade mórbida de abaixar ainda mais a cabeça e carregar ainda mais peso. Odeio o bordão da supra-humildade: tudo bem, não precisa. Não precisa nada, que ninguém lhes tire da miséria, que ninguém lhes dê um bilhete de loteria premiado para arrancar deles o prazer do pouco. E não se enganem: a cobrança virá. O deleite da cobrança invisível mas sensível. Afinal, como podemos ser tão felizes, tão ricos, tão realizados quando aquela pessoa, tão boazinha, está indo a pé para casa, no escuro da noite, carregando um sei lá o quê sempre muito pesado?! Sejamos um…

Cinco Letras

Uma amiga me contou que somos sortudas pois em nós a gordura se acumula nas coxas e na bunda. Uma puta sorte. Muito pior quando se junta perto dos órgãos vitais. Que bacana, pensei, e vim pra casa tentando me consolar com a descoberta. Ser uma tanajura feliz. Mas nada. Meu órgão vital para estes assuntos é cinzento e cheio de dobrinhas e mora dentro da minha caixa craniana. Ele pensa. E está em choque diário e direto com minha bunda, não importa a distância que os separe. Bunda que não cabe mais naquela calça que o cérebro teima em guardar como uma forma sutil de tortura. Ela, a amiga, abriu o livro da dieta de pontos e calculamos juntas, no estacionamento da padaria, nossa massa corporal. A tabela não teve pena: eu estou com sobrepeso e ela gorda. Cinco balas de revólver no peito ardem menos que estas cinco letras. A amiga deixou-me com minha bunda na porta de casa e saiu desesperada atrás de óleo de cartamo. Dizem que faz milagres contra a gordura localizada. Amanhã voltaremos a c…