Quando tudo for deserto

São Paulo nunca foi a primeira dama. São Paulo sempre foi a outra. Vinte e quatro anos morando em São Paulo e fiz questão de manter-me estrangeira e fiel à cidade onde nasci. Faz alguns anos comecei a ameaçar deixá-la: cidade suja, cidade feia, cidade violenta, cidade dura. Ela só piorando...

Este texto agora pode ser lido na íntegra no novo livro da Senhorita Safo. 
Disponível a partir de 12/03/2016 no site das melhores livrarias.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amar não basta

Para o meu fantasma

Estranha Paz