Despedida

Perdoa. Viemos juntas ao mundo, juntas fomos colocadas na jaula das indelicadezas. Você era doce e frágil e tive que tomar a frente e levar o carro. Você era meiga e tinha os olhos de amor infinito: eu bem me lembro deles e das suas pernas e braços magros.


Este texto agora pode ser lido na íntegra no novo livro da Senhorita Safo. 
Disponível a partir de 12/03/2016 no site das melhores livrarias.


Comentários

  1. Chorar... é o q me resta...

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Sim querida. Estamos sempre recomeçando.

      Excluir
  3. Monstro! Texto monstro! Uma das coisas mais poderosas que já li.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa! Obrigada companheiro, sua opinião vale muito!

      Excluir
  4. Nanna, a despeito de seu lindo texto, a meu ver, seus olhos continuam amorosos e você ainda sabe perfeitamente aceitar um colo, um abraço e, sempre que uma borboleta entra em seu campo de visão, ela passa a habitar, ainda que por instantes, o olhar da menina-senhora de todas as idades! Bj Davi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada amor, fico sempre muito bem dentro dos seus olhos!

      Excluir
  5. Quem era? Essa outra menina realmente existiu? Ou é seu interior?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Era eu aos sete anos. Hoje sou a que escreve. Obrigada por vir.

      Excluir
    2. Traduzindo pra nossa realidade, quem dera que essa menina de hábitos puros e vestidos de babados, tomasse de assalto esse carro desgovernado e resgatasse os valores que se perderam com a seu comodismo.

      Excluir
    3. Então... E ela pode. Eu acredito. Mesmo quando fica tudo escuro, eu acredito.

      Excluir

Postar um comentário

Não tem conta Google? Assine, clique em ANÔNIMO e em PUBLICAR. É fácil! Bjooo.

Postagens mais visitadas deste blog

Amar não basta

Para o meu fantasma

Estranha Paz