História Emprestada - E. Minha Amiga Invisível

Sentada no café com E. observo um macho adulto bem para lá dos quarenta anos com uma leve proeminência abdominal, um princípio de cabelos brancos nas têmporas, coroado por uma suave calvície, aguardando na fila do caixa. Sugiro a E. a possibilidade de um contato promissor com o sexo oposto visto que ela tem idade compatível, menos barriga do que ele e todos os cabelos na cabeça sem nenhum fio branco exposto. E. passa o olho rapidamente no espécime com expressão desanimada enquanto mistura a espuminha no café...


Este texto agora pode ser lido na íntegra no novo livro da Senhorita Safo. 
Disponível a partir de 12/03/2016 no site das melhores livrarias.


Comentários

  1. E vamos seguindo com a herança da amada Cabrita que poesia toda vida - ainda que o corpo, finda, tomado pela intelectualidade estupida-moderna - a alma dessa, Caieira, nunca se encerra... sempre sã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alma sã no corpo possível e torçamos para E. encontrar um abraço compatível. Ela merece.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Depois dos 40 fiquei invisível até para peão de obra! Que roça!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não tem conta Google? Assine, clique em ANÔNIMO e em PUBLICAR. É fácil! Bjooo.

Postagens mais visitadas deste blog

Amar não basta

Para o meu fantasma

Estranha Paz