A Vítima em Mim

É raro percebermos a vítima em nós. A vítima ensanguentada é a mais sutil das criaturas. De repente, me pego crivada das flechas: o marido não reconhece o esforço sobre humano que faço para desempenhar as milhares de tarefas diárias, os filhos me enlouquecem com suas demandas eternas, o trabalho me consome com sua pressa e total insensibilidade, o mundo me pressiona, me exige e me devolve pouco. Por que ninguém me coloca alguns segundos no colo, por que não percebem o meu cansaço, a minha tristeza, a minha dor? Como podem querer que eu seja feliz assim??? E então, súbito, me pergunto a quem dirijo todas estas lamúrias. A providência de quem será a minha salvação?? Quem é este surdo que não escuta minha dor? O marido, os filhos, o chefe, os amigos?
Hoje, na hora da janta, deixei meus filhos comerem ou não comerem, e comi em paz, levantei-me da mesa e peguei meu I-Pod, atravessei a cozinha onde todos ainda jantavam e desapareci pelo portão que dava na rua. Caminhei uma hora enquanto o trabalho esperava e a família seguia vivendo. Quando voltei, meu filho pequeno berrava no meio da sala por algum motivo que até agora não sei. Passei direto e fui tomar um banho. Quando sai do banho, meu marido já tinha colocado as crianças para dormir. Abri meu computador e fui escrever este texto. Quando eu colocar o ponto final terei não sido vítima de ninguém por umas duas horas. E o mundo seguirá muito bem, obrigado. Tudo que estava lá para ser resolvido, me espera. E o colo me foi dado. E meus parceiros nesta jornada também terão sido poupados por duas lindas horas dos meus sacrifícios.
*
*
*

Comentários

  1. Chove bastante hoje. Em dias assim fica ainda mais difícil se mostrar "a feliz". A casa inteira dorme enquanto eu já dei conta de dezenas de coisas e me preparo para fazer o almoço. Queria te chamar pra uma cinema hoje a tarde, mas ainda não consegui tirar meu i-pod da gaveta. Obrigada por me inspirar a fazê-lo.

    ResponderExcluir
  2. Nana, achei o seu desabafo mto saudável e sua sacada e ação melhores ainda, o mundo sobrevive e continua sem seu sacrifício sim e sabe que pode mesmo ouvir seus desejos e lamúrias? Vc mesma !! Essa energia voltada para atender o mundo todo pode ser tb utilizada pra vc !! Deixe uma boa parte pra vc que tudo melhora pode crer.
    Bjs
    Leila

    ResponderExcluir
  3. Nanna, sou sua fã!
    Bjão
    Lili

    ResponderExcluir
  4. Compartilharei com Renata Pessoa... sempre somos vítimas depois que somos mães, não!? Pelo menos vítimas dos nossos maridos que insistem em cuidar das crianças do jeito deles em vez de fazer tudo como definimos na nossa lista de "jeito certo de cuidar dos bebês"... o Daniel, no auge da irritação, me diz: "Contrata uma babá!"... ai, ai, ai...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tive uma mãe vítima profissional. Coloquei na minha última peça. Tem horas que faço igualzinho. Um inferno.

      Excluir

Postar um comentário

Não tem conta Google? Assine, clique em ANÔNIMO e em PUBLICAR. É fácil! Bjooo.

Postagens mais visitadas deste blog

Amar não basta

Para o meu fantasma

Estranha Paz