Rifles com Porta-Batom

Depois de muita revolução, nós mulheres conquistamos o direito de sermos homens.  A amiga soltou esta na mesa cheia de pães, biscoitos, chá, café e outras amigas. Cambaleei para trás atordoada e me amparei com o cotovelo na mesa, acometida da vertigem feroz das iluminações súbitas. A amiga, sem saber, arrancava do chão minha pilastra mestra...

Este texto agora pode ser lido na íntegra no novo livro da Senhorita Safo. 
Disponível a partir de 12/03/2016 no site das melhores livrarias.


Comentários

  1. se você soubesse o quanto a sua existência no mundo me faz sentir menos só...

    obrigada...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pxipxipxi! É recíproco, Lu. Separadas na maternidade. Rsrsrs.

      Excluir
  2. E o pão caseiro era da outra amiga genial que fez um pit stop gentil em casa. Ela, que dorme numa caminha de solteiro soterrada no micro quartinho de empregada, cedido "gentilmente" pelo filho. Menino-homem.Como eu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nany di Lima, toda vez que vou na sua casa saio mais mulherzinha. Rsrsrs. Te amo.

      Excluir
  3. muito bom o post. Sou Karen, atriz da CIA AMANTE DE TEATRO, caso queira conversar com gente para dar mais textos ou o que for, ou mesmo ir conhecer nosso trabalho que chama EXISTIR NA ESSÊNCIA, em busca do sagrado feminino, entre em contato arte@ciaamantedeteatro.com.br Abraços

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não tem conta Google? Assine, clique em ANÔNIMO e em PUBLICAR. É fácil! Bjooo.

Postagens mais visitadas deste blog

Amar não basta

Para o meu fantasma

Estranha Paz