Amor Cruel

Sampo Kaikkonen
http://sampokaikkonen.com/gallery/?year=2005 
A vida é cruel e eu tenho a alma romântica.  Acredito, no fundo, que o bem prevalecerá e que a bondade há de me salvar. Papagaices cristãs. A vida, em seu fluxo inexorável, é cruel e tem sua lógica intrínseca que transborda a compreensão humana. Segue feito enxurrada obediente às curvas do planeta arrastando tudo. De repente uma mulher jovem e boa tem um linfoma, está grávida de um menino, e luta com coragem e bom humor pela vida, e acredita na vida, mas, nascida a criança, é vencida pelo câncer e morre. Vejo suas fotos, sempre sorridente, abraçada aos filhos, o que nasceu e o outro de quatro anos, e recorro aos meus livros de contos de fadas para entender  como pode morrer a princesinha? Como, se fez tudo certo? Se comeu direitinho, se fez terapia,  se descansou, se conversou com Deus, se pediu perdão  e implorou em nome dos pequenos filhos? Nenhum final feliz vem  em meu socorro. A vida é cruel e somos atores descartáveis em sua ópera. Inocentes são ceifados diariamente, a despeito de todo o bem que fizeram. A vida não se importa. Manda a natureza nos tratar como o que somos: bichos. Morremos como formigas acidentalmente atropeladas pela roda do carro.  Esta, a crueldade da vida contra minha alma romântica. Viver é agora, é por enquanto, não há âncoras que me prendam, não há garantias, não há futuro. Entrego-me à finitude. Fria de pavor. Sou também esta carne temporária, este olhar temporário, esta expressão temporária no mundo, e o tempo não me pertence. Acima da altiva cabeça humana, as Moiras tecem o fio da vida, alheias às minhas idiossincrasias. Nem a Zeus devem obediência. E quando não sei, Átropos tranquilamente, sem alarde, sem sofrimento, levará ao fio sua tesoura, como qualquer velha tricoteira absorta numa tarefa diária, e acabará esta minha vida. Olho ao redor: o sol nas árvores, o pássaro colorido sobre o telhado do vizinho, meu cachorro late, a voz do meu filho ao longe, vida amada, adorada, respiro mais fundo este ar que agora tem gosto e abraço furiosamente o presente.
*
Para Elaine César, que não conheci mas me ensinou.
http://elainecesar.blogspot.com/
*
*

Comentários

  1. Eis que estou a chorar... Lindíssimo!!! Beijinho...

    ResponderExcluir
  2. Conheci Elaine Cesar há muitos anos, deveria ter 25. Era doce, suave . O rumo de cada uma de nós seguiu caminhos diferentes apesar de estarmos no mesmo meio.
    Vez ou outra tinha notícia dela do tipo: casou, descasou, está dirijindo, está trabalhando com teatro. Ano passado passeando pelo Facebook de um amigo em comum vi fotos dela e percebi o câncer pois ela estava sem cabelo, mas parecia forte. Depois ouvi comentários sobre a luta pelo convívio do filho.
    Semana passada soube que estava pedindo doação de sangue, estava me preparando para ir doar qdo veio a notícia de sua partida. A história de Elaine tem lacunas ,me deixou como você Nanna. Comecei então a ler o Blog dela , preciso entender melhor e viver a experiência dela. A experiência alheia nos ensina muito .Sugiro você postar este texto lindo no blog dela, como uma homenagem `a guerreira Elaine.

    ResponderExcluir
  3. Você assistiu A Árvore da Vida, Nanna? O filme me fez compreender algo que eu nem sabia que queria entender. E quando me pergunto, hoje, qual é a importância da vida humanada (seja a de uma mãe ou a de um milhão de africaninhos) em um universo de tantos bilhões de idade e tamanhos, a resposta que entendo é tão simples e tão devastadora... Importamos tanto quanto um verme amarelo, ou uma estrela gigante vermelha. Somos tudo a mesma coisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Leo querido, maravilhosamente é isto mesmo. Vou ver o filme. Beijos.

      Excluir
  4. Hi,

    I noticed that you have used my painting "Three Fates" on your blog. You may use the photo but please include my name and preferably a link to my website along with it. Thanks!

    Best regards,
    Sampo Kaikkonen
    http://sampokaikkonen.com/gallery/?year=2005

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hello! I m really sorry. I use to include the autors in the pictures but sometimes i don t find the names. Thank you very much for your generosity. Congratulations for your big talent. A big kiss.

      Excluir

Postar um comentário

Não tem conta Google? Assine, clique em ANÔNIMO e em PUBLICAR. É fácil! Bjooo.

Postagens mais visitadas deste blog

Amar não basta

Para o meu fantasma

Estranha Paz