Saia Correndo

Diga a verdade e saia correndo. Provérbio Iugoslavo, sábio. Ainda que a verdade, em sua forma final, não exista. Diga a sua verdade. Os mares se erguerão em fúria? Mamãe não vai gostar? O marido vai ficar chateado? Os amigos vão tomar sua faixa de Miss Simpatia? Diga a verdade e saia correndo. Nem sempre o dito é o querido mas pode ser o necessário. Televisão é que diz ao povo o que o povo quer ouvir. Você não é a televisão. Contradiga a massa. Pelo menos às vezes. E corra para um lugar seguro. Quando vier brotando lá do fundo do seu estômago cansado um não, uma desconformidade, um impróprio, considere deixar sair. Pode ser uma mensagem da sopa primitiva do inconsciente coletivo suportável e saudável para todos no futuro. Ou pode ser apenas uma enorme besteira. Corra o risco. Seja um chato. Um dia, um puta chato ficou enchendo o saco das pessoas com a história idiota de que a Terra girava em torno do sol. Queriam até mandar o chato pra fogueira. Seja chato, se quiserem tacar fogo em você, corra. Permita-se uma chatura, ninguém vai morrer. Sou tão domesticada, tão simpática, tão corretinha, tão legal, tão adestrada para não incomodar. Beleza! A mulher foca equilibrou a bolinha e já ganhou o seu Green Card do céu, pode incomodar de vez em quando. Desacomodar. Comodismo é uma merda. Pronto. Falei um palavrão. Eu que sou mãe, intelectualizada e terapeutizada, criada em Minas, quase católica, escrevi merda aqui nesse blog. Putaqueopariu! Como é que eu fui fazer um negócio desses? E pior: eu gosto de falar palavrão. Adoro. Não falo pra mamãe não ficar chateada. Mas falo baixinho pra mim mesma: é uma mini-catarse cotidiana, uma subversão homeopática no meu discurso acomodado, uma safadeza, uma peraltice. Mas o fato é que agora falei alto e incomodei, com minha boca suja, mamãe e minhas tias do interior e o padre da igreja onde fiz o catecismo e um leitor distraído que estava passando pelo Google e caiu aqui de cara neste reprovável e repulsivo palavrão. Não sou mais unanimemente amada. Foda-se, vou sair correndo.
*
*
*

Comentários

  1. Ariane Tagliacolli7/10/11 19:42

    É isso aí! Desobstrua o fígadoooooo!
    Falo palavrão pra k$%$¨! Claro que não perto das crianças... No máximo xinguei uma vez uma cidadã de "vaca" no trânsito... Aliás, foi hilário, poque minha pequena perguntou: ONDE TÁ A VACA, MAMÃE?... Respondi: PÔXA, FILHA, ELA TAVA COM PRESSA, JÁ FOI...

    ResponderExcluir
  2. putaqueopariu... adorei o texto!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não tem conta Google? Assine, clique em ANÔNIMO e em PUBLICAR. É fácil! Bjooo.

Postagens mais visitadas deste blog

Amar não basta

Para o meu fantasma

Estranha Paz